FIQUE LIGADO!

Devocional

Uma Manjedoura, e não um Palácio

“E ela deu à luz o seu filho primogênito, envolveu-o em panos e o colocou em uma manjedoura, pois não havia lugar para eles na hospedaria.” Lc 2.7

 

O nascimento de Jesus, o Rei dos reis e o Senhor dos senhores quebrou os paradigmas humanos. Sendo ele Deus, se fez homem. Sendo Senhor soberano do universo, se fez servo. Sendo transcendente tornou-se um bebê enfaixado em panos. Sendo dono do universo, se fez pobre. O Filho de Deus não nasceu em um palácio, mas numa manjedoura. O reino que ele nos trouxe coloca a pirâmide de cabeça para baixo. Ser grande é ser humilde. 
O maior de todos é o servo de todos. Aquele que teve glória infinita com o Pai antes dos tempos eternos e é adorado por querubins e serafins, nasce numa família humilde e não teve sequer um lugar onde reclinar a  cabeça. Nasceu numa estrebaria, cresceu numa carpintaria e morreu numa cruz. Ao entrar em Jerusalém, montou um jumentinho emprestado. Ao reunir-se com os discípulos para a páscoa, usou uma sala emprestada. Ao ser sepultado precisou de um túmulo emprestado. Ele, sendo rico, se fez pobre por amor de nós, pela sua pobreza, nos tornássemos ricos. Jesus exaltou os     humildes e fez despencar das alturas os soberbos. Ele derrubou do seu trono os poderosos e exaltou os humildes. Encheu de bens os famintos e despediu vazios os ricos. O símbolo de sua realeza não foi uma coroa, mas uma toalha e uma bacia. Oh, que bela história é a história do Natal!

 

Extraído: Livro Gotas de amor

Pr. Hernandes Dias Lopes

Nossos parceiros